terça-feira, 31 de dezembro de 2013

DISSOLVENDO A INCONSCIÊNCIA

E fundamental colocar mais consciência em sua vida durante as situações comuns, quando tudo está correndo de modo relativa-mente tranquilo. É assim que se aumenta o poder de presença. Ele gera um campo energético de alta frequência vibracional em você e ao seu redor. Nenhuma inconsciência, nenhuma negatividade, nenhuma discórdia ou violência podem penetrar nesse campo e sobreviver, do mesmo modo que a escuridão não consegue sobreviver na presença da luz.


Quando você aprender a ser uma testemunha de seus pensamentos e emoções, o que é uma parte essencial do estado de presença, talvez se surpreenda ao perceber pela primeira vez o ruído "estático" da inconsciência comum e ao verificar como é raro você se sentir à vontade consigo mesmo.

No nível do pensamento, você encontrará uma significativa porção de resistência na forma de julgamentos, descontentamentos e projeções mentais distanciados do Agora. No nível emocional haverá uma tendência para o desconforto, a tensão, o enfado ou o nervosismo. Ambas são aspectos da mente em seu modo de resistência habitual.

OBSERVE AS MUITAS maneiras pelas quais o desconforto, o descontentamento e a tensão surgem dentro de você, através de julgamentos desnecessários, resistência àquilo que é e negação do Agora.

Qualquer coisa inconsciente se dissolve quando a luz da consciência brilha sobre ela.

Se soubermos como dissolver a inconsciência comum, a luz da nossa presença irá brilhar intensamente e será muito mais fácil lidarmos com a inconsciência profunda. Mas, no início, talvez não seja muito fácil detectar a inconsciência comum porque a consi-deramos uma coisa normal.


HABITUE-SE A MONITORAR o seu estado mental e emocional através da auto-observação.

"Estou me sentindo à vontade neste momento?" é uma pergunta que você deve se fazer com frequência.

Ou pode se questionar: "O que está acontecendo dentro de mim neste exato momento?"

Mantenha o mesmo nível de interesse pelo que vai tanto no seu interior quanto no exterior. Se você captar corretamente o interior, o exterior se encaixará no lugar. A realidade principal está no interior, a realidade externa é secundária.

MAS NÃO RESPONDA logo a essas questões. Direcione a sua atenção para o interior. Olhe para dentro de você.

Que tipo de pensamentos a sua mente está produzindo?

O que você sente?

Dirija a atenção para o seu corpo. Existe alguma tensão?

Quando você perceber um certo desconforto, um ruído estático ao fundo, verifique que caminhos você está usando para evitar, resistir ou negar a vida, o Agora.

Existem muitos caminhos pêlos quais resistimos, inconscien-temente, ao momento presente. Com a prática, o seu poder de auto-observação, de monitorar o seu estado interior, se tornará mais aguçado.

Postar um comentário